Bem vindos ao Blog ADESG Europa.Pode seguir - no no nosso perfil clicando AQUI para aceder a toda a informação e fotografias/videos da nossa instituição.
O nosso sitio está AQUI

VENCEDORES DO CONCURSO LITERÁRIO 2011:

- INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DO CIBERESPAÇO - UM VECTOR ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA E DEFESA NACIONAL - AUTOR: TCor Tm (Eng) Paulo Fernando Viegas Nunes

- TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO - A verdade de Um falso Mundo - AUTOR: Luis Boa Nova Verdade

- TECNOLOGIA, NÃO TECNOLOGIA – Estilhas Coloniais, e mais na vida do Rio de Janeiro no século XXI - AUTOR:
Laton Tombé

Obras a publicitar em breve

domingo, 11 de novembro de 2012

Visita a Portugal dos Brigadeiros Maximino Mendes de Oliveira Junior e Wilson Nunes Vieira


Artur Victoria recebeu na sede da ADESG Europa os Senhores Brigadeiros Maximino Mendes de Oliveira Junior  and  Brigadeiro Wilson Nunes Vieira.

domingo, 28 de outubro de 2012

Jovens&Mar

Veja o ábum completo das fotos do evento

A Adesg Europa - Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra representada pelo Dr. Artur Victoria e o Adido de Defesa e Naval do Brasil em Portugal Capitão-de-Mar-e-Guerra Alexandre Augusto Amaral Dias da Cruz fizeram a apresentação do programa Jovens@Mar no CATIM

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Apresentação de livro na cidade do Porto




Auditório da Douro Azul

31de Outubro, 4ª feira, às 18h30, entrada livre


            Num livro interessante, fácil de ler e com muito de autobiográfico, o Cte.  Michael Abrashoff conta-nos como em menos de um ano tornou o U. S. S.  BENFOLD no melhor navio da U.S. Navy da Esquadra do Pacífico, quer nos aspectos do desempenho operacional, quer no que se refere às áreas administrativas e de gestão.
            Quais as técnicas de management, quais os segredos de liderança do Cte. Abrashoff, do “Megafone Mike”, como a sua guarnição, com carinho e respeito, lhe chamava ?
            Os titulos dos vários capitulos falam por si: “liderar pelo exemplo”, “ouvir com atenção”, “comunicar o objectivo e o fim”, “criar um clima de confiança”, “o objectivo é atingir resultados”, “assumir riscos calculados”, “ultrapassar os procedimentos padrão”, “desenvolver profissionalmente a guarnição”, “gerar unidade” e “melhorar a qualidade de vida do pessoal”.
            A apresentação pública de “É o seu navio!” na cidade do Porto terá lugar no dia 31 de Outubro, 4ª feira, às 18h30, em sessão pública, com entrada livre,  a realizar no auditório da firma Douro Azul, na Rua de Miragaia, nº 103. Será apresentada simultâneamente, por um “marinheiro”, o V/Alm Conde Baguinho, ex- Vice CEMA, e por um “gestor”, o Dr. Miguel Marques, partner da Consultora PriceWaterhouse Coopers. A mesa será presidida pelo Dr. Mário Ferreira, Administrador da Douro Azul, onde estarão também presentes  os dois apresentadores e o editor.
           
            Esta obra foi já apresentada, com grande sucesso, no dia 14 de Junho no Clube Militar Naval, em Lisboa,  no dia 25 de Junho, na Biblioteca Municipal, em Tavira, no Algarve e em Aveiro, no auditório do ISCIA, no dia 20 de Setembro.
            Este livro foi traduzido para português e editado recentemente pelas editoras Oasis e ENN–Editora Nautica Nacional, Lda, e teve  o apoio da AORN – Associação dos Oficiais da Reserva Naval e, entre outras,  das firmas ou instituições  Arsenal do Alfeite, S.A., DouroAzul, EPUL, ESRI, FEDRAVE/ISCIA,  Lindley-Marinas & Sinalização, Lda, MSC, MSC-Cruzeiros, Portline e Seguros Lusitânia.
             A edição portuguesa, de 266 páginas, tem um prefácio assinado por um dos editores, o V/Alm Alexandre da Fonseca, que fez também a revisão técnica  da tradução. Está à venda nas livrarias, com um preço de capa de 25€. Os assinantes da  Revista de Marinha, e os participantes nas sessões de apresentação, contudo,  poderão adquiri-lo pelo preço de 19,5€, ou 29,5€ para a versão de capas cartonadas, a que acrescem, se aplicavel, os portes de correio (2,20€). O seu envio  poderá ser solicitado através dos telefones fixo 21 928 13 77 , movel  91 996 4738 e e-mail revistamarinha@gmail.com .

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Jovens&Mar


O projeto Triangulo Atlântico tem sido objeto de profunda reflexão no Brasil, pela sua importância e tem sido entendido que o mesmo deve avançar devagar e com cautela.
Pensa - se que num aspeto público deve dar - se a imagem de sensibilização á juventude  e promover e incentivar a realização de festividades comemorativas de eventos históricos e acontecimentos cívicos de maior expressão, relacionados com a Marinha na formação e desenvolvimento das nacionalidades e concorrer para o aperfeiçoamento cultural da juventude escolar, através de seminários, palestras, conferências e atividades correlatas, tendo em vista a permanente divulgação, no seio da mocidade, dos verdadeiros objetivos da Marinha;
Deste modo o meio para alcançar este desígnio é promover reuniões ou festividades de caráter social, artístico, recreativo ou esportivo, a fim de desenvolver perfeito relacionamentos humano, mantendo intercâmbio cultural com as instituições nacionais e estrangeiras interessadas na promoção de estudos e pesquisas sobre navegação, aproveitamento dos recursos do mar e desenvolvimento de tecnologia marítima;
Como especial enfoque para a juventude o  apoiar os Grupos de Escoteiros do Mar, segmento da juventude ligado a atividades marítimas, proporcionando aos escoteiros uma maior aproximação à Marinha do Brasil, através de palestras e do salutar convívio.
Assim e para se iniciar este ciclo escolheu - se apresentar o programa "Jovens&Mar" dia 18 de Outubro na cidade do Porto , ás 14,00 h no CATIM, sito á Rua dos Plátanos, onde o Senhor  Adido de Defesa e Naval em Portugal   Capitão-de-Mar-e-Guerra Alexandre A. A. Dias da Cruz irá proferir uma palestra cujo tema consta no convite anexo.

sábado, 15 de setembro de 2012

Feita a avaliação á ação praticada com a visita de 150 crianças carenciadas ao NE Brasil planejada pelo Adido de Defesa e Naval do Brasil Comandante Alexandre Dias, o Comandante do NE Marcos Borges Sertã e o Representante da ADESG na Europa Artur Victoria foi ressaltado um saldo muito positivo. Ouviam - se comentários da tripulação em que diziam:
 "...1- Não conhecíamos Portugal...superou e muito, em todos os aspectos, as nossas expectativas; e
2- Começamos a nos arrepender de não termos dedicado mais tempo à Portugal...não sabíamos que seria assim...vou voltar, mesmo que seja em viagem de cunho particular...".


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Visita ao Navio Escola Brasil dia 5 de Setembro de 2012


Estiveram a bordo cerca de 150 crianças e jovens das instituições:

CENTRO SOCIAL COMUNITÁRIO DO BAIRRO DA FLAMENGA

INSTITUTO CONDESSA DE CUBA  – ASSOCIAÇÃO RESGATE

GRUPO SEMENTES

GRUPO A BOLINA

GRUPO MAC DONALDS

Intervieram colaboradores da Aditancia nomeadamente a esposa do Senhor Adido da Defesa e Naval bem como colaboradoras da ADESG Europa.

Junto o resumo global dos inquéritos feitos aos visitantes após a visita:

1 – O evento teve significado para a vossa perspetiva de convivência entre Portugal e o Brasil?

total de respostas - Muitíssimo

2 - Ficaram curiosos para aprenderem mais sobre o mar e a marinha?

total de respostas - Muito

3 - Do que viram e lhes foi explicado o que é que gostaram mais?

Total condensado de apreciações:

a) Queremos destacar a apresentação do filme, o qual mostra de uma forma bastante significativa o trabalho realizado pela Marinha do Brasil, nomeadamente, ao nível da sua missão, intervenção, assim como, quais os recursos humanos e materiais que possui. É de realçar, também, o percurso feito dentro do navio que se encontra bastante organizado, o que possibilita aos visitantes o contato com a realidade vivida a bordo do navio.

b)A sala das máquinas, a artilharia pesada e a dimensão do navio, o equipamento tecnológico e o conforto do próprio navio-escola.

c)  Gostaram muito de perceber todo o funcionamento do Navio,e como funcionam as várias divisões do mesmo. A vida de marinheiro foi o que mais questionaram, e o que lhes suscitou maior interesse. Alguns referiram até que gostariam de vir a trabalhar na marinha, o único senão seria a quantidade de línguas a aprender e o tempo de isolamento das famílias.

5 – Querem continuar a aprender e ver a vida relacionada com o mar, com os rios, com o trabalho de marinheiro, com a ciência e tecnologia que é utilizada nas embarcações?

total de respostas - Claro que sim

 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Almoço no Navio Escola Brasil

No Navio Escola chegado ontem dia 3 de Setembro a Lisboa o Adido de Defesa e Naval do Brasil Comandante Alexandre Dias e o Comandante do NE Marcos Borges Sertã e o Representante da ADESG na Europa Artur Victoria é planeada mais uma ação humanitária para levar crianças portuguesas socialmente carenciadas para uma visita no próximo dia 05.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Ampliação da mentalidade marítima

Press release
Este ficheiro  dá  o escopo, não só da visita em si, mas, também, desse meio naval da Marinha do Brasil, incluindo peculiaridades que contribuem para a ampliação da mentalidade marítima internacional e para o estreitamento dos laços de amizade que já unem Portugal e o Brasil.

Visita Operativa do NVe Cisne Branco

Apraz-me transmitir-lhes o press release da Visita Operativa do NVe Cisne Branco à Ponta Delgada - Açores, no período de 24 a 27 de Julho de 2012.
Como é do conhecimento, o navio estará aberto a Visitação Pública nos dias 24 e 26 de Julho, após às 14:00hs e com encerramento às 18:00hs, com entrada franca, no Cais das Portas do Mar.
Os ficheiros adjuntos (em ppt. e pdf.) oferecem o escopo, não só da visita em si, mas, também, desse meio naval da Marinha do Brasil, incluindo peculiaridades que contribuem para a ampliação da mentalidade marítima internacional e para o estreitamento dos laços de amizade que já unem Portugal e o Brasil.
Dessa forma e, até por ter visto em Lisboa um anúncio relacionado ao incremento da supramencionada mentalidade marítima, proponho a divulgação de matéria atinente ao tema na Região Autónoma dos Açores e em Portugal Continental.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Adira á página do Facebook deste novo projeto clicando AQUI

 
YAT - Rede de Jovens para as Tecnologias Aeroespacial e do Mar



O YAT é um espaço onde a juventude e a comunidade pode construir seu conhecimento através de um currículo inovador de aprendizagem baseado num projeto e   projetos conduzidos por jovens.

O YAT é uma parceria de entidades públicas e privadas, sejam coletivas ou individuais, que estejam dedicadas ao estudo, pesquisa e promoção da Ciência Aeroespacial e do Mar.

O objetivo da rede é contribuir para um discurso inovador sobre a motivação para a inovação, pesquisa e sua aplicação prática através de uma rede de qualidade e excelência formada pelas Escolas, Instituições Universidades de Pesquisa e Estudos Avançados.

A sua missão é focada pelos grupos de trabalho orientados para tecnologias específicas e nos desafios para a inovação.

Através do enfoque em desafios específicos e desafios para as competências científicas necessárias os apoiar o YAT será capaz de produzir rapidamente o conhecimento bem adaptado  e orientado  e habilidades.Essas competências serão direcionadas tanto no uso da inovação para enfrentar os desafios científicos, como também para a criação de uma procura construtiva e informada para futuros quadros e equipas por parte das empresas estatais e privadas.

Os membros do YAT serão admitidos a partir de: Escolas públicas e privadas, jovenssocialmente desfavorecidos e em risco, com as competências necessárias para prosseguir no ensino superior.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Força Aérea Portuguesa - aniversário de Diamante

ADESG Europa parabeniza a Força Aérea Portuguesa pelo seu aniversário de Diamante em 1 de Julho de 2012 

sábado, 12 de maio de 2012

Bilateral - Brasil e Turquia

Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Turquia, Ismet Yilmaz, manifestaram  o interesse de estreitar a cooperação bilateral na área de defesa entre os dois países. Os ministros se encontraram na sede do Comando Militar do Sudeste, na cidade de São Paulo, evento que marcou o início da visita oficial que o representante turco e comitiva fazem ao Brasil esta semana.Na avaliação do ministro brasileiro, embora estejam situados em cenários geopolíticos distintos, Brasil e Turquia possuem necessidades semelhantes de Defesa. Segundo ele, ambos os países buscam o desenvolvimento de projetos militares modernos, com capacitação nacional e tecnologia autônoma, em setores como o naval, aeroespacial, fabricação de blindados, defesa cibernética e veículos aéreos não tripulados (VANTs), entre outros.

Dilma e as Forças Armadas

“A cooperação com as forças civis de segurança no âmbito federal, estadual e municipal para recuperar o controle sobre áreas conflagradas, para garantir a segurança de grandes eventos internacionais, como os que o Brasil irá sediar, e, ao mesmo tempo, a necessidade de uma presença das Forças Armadas brasileiras no sentido dissuasório, impõem novos espaços de atuação, grandes desafios em todos os níveis”, ponderou a presidente.
Dilma Rousseff assinalou também que capacidade de dissuasão requer Forças Armadas bem equipadas e treinadas, além de uma indústria nacional de defesa forte. “É isso que nos cabe, cada vez mais, construir nos próximos anos. Por isso estamos trabalhando para que a recomposição da capacidade operativa das Forças Armadas esteja associada à busca de autonomia tecnológica e acompanhada do fortalecimento da indústria de defesa nacional, pois é assim que nossas Forças Armadas continuarão a exercer, com excelência, suas tarefas constitucionais”, explicou Dilma.

Marinha da CPLP

Ocorreu  na Escola de Guerra Naval, no Rio de Janeiro, a cerimônia inaugural do III Simpósio das Marinhas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), com a presença do ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, e do comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto. Ao discursar, o ministro da Defesa ressaltou que um dos resultados esperados do encontro é a apresentação de uma proposta factível para que todos cooperem mutuamente para aumentar a “segurança marítima” nas águas jurisdicionais de cada país, sem interferir nas soberanias nacionais. A Marinha Portuguesa também destacou a extensão do mar português, que corresponde a 19 vezes o território nacional, e o duplo uso do mar, o militar e o não militar, além de ressaltar a importância da produção, disseminação e integração das informações para garantir o pleno uso do mar entre os países membros.

F-18 Super Hornet

Já a decolar da Academa da Força Aérea Brasleira o F-18 Super Hornet , vêm como um descarte dos EUA pois estão prestes  a serem substituídos pelo novíssimo F-22. 

domingo, 22 de abril de 2012

Países lusófonos querem maior cooperação militar com Portugal e Brasil

Os comandos das Armadas de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste apelaram a uma maior cooperação militar com Portugal e Brasil.
Actualmente, a Marinha de Guerra portuguesa conta com cerca de 13.200 homens, e tem sido a responsável pela maior parte da cooperação militar com as suas congéneres da CPLP.

sábado, 21 de abril de 2012

ADESG Relatorio 2010

Plano decenal de cooperação Brasil - China

Eis algumas outras ações que poderão integrar o plano:
- Fortalecer a colaboração dos dois países, baseada no trabalho conjunto entre INPE CRESDA, para aumentar a distribuição internacional dos dados dos satélites CBERS-03 e CBERS-04, com novas estações terrestres de recepção de seus dados, visando ampliar as aplicações ambientais de monitoramento dos ecossistemas terrestres e outras aplicações de interesse global.
- Implementar o Programa CBERSs for Africa, colocando em prática os Memorandos de Entendimento para a recepção de imagens do CBERS-3, assinados com a África do Sul, a Espanha (para a implantação da Estação terrestre de Maspalomas, nas Ilhas Canárias) e Egito (para a implantação da Estação de Aswan);
- Elaborar e assinar o Memorando de Entendimento entre MCTI e CMA (Administração Meteorológica da China) destinado a criar o Centro Brasil-China de Pesquisa Meteorológica por Satélite, tendo como agências implementadoras o INPE e o NSMC (Centro Nacional de Satélites Meteorológicos da CMA).
- Fortalecer o trabalho conjunto entre INPE e CEODE (Centro de Observação da Terra e da Geoinformação Digital) no mapeamento de aplicações para a agricultura; no desenvolvimento de acesso aberto e gratuito de ferramentas computacionais; na modelagem ambiental; nos sistemas de monitoramento de desastres naturais e tecnologia espacial para o estudo das mudanças ambientais globais;
- Fortalecer a colaboração entre INPE e CSSAR (Centro de Ciência Espacial e de Pesquisa Aplicada), com a realização de observações conjuntas e estudos da ionosfera e atmosfera média e alta em baixas latitudes; e
- Dar continuidade ao acordo que estabelece o apoio das estações terrestres do Brasil aos voos tripulados das missões Shenzhou, em colaboração com o Centro Chinês de Lançamento e Rastreamento (CLTC – China Launch and Tracking Center).

Censipam 10 anos: avanços na defesa da Amazônia

Inaugurado há exatos dez anos, em Brasília (DF), o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) é hoje referência no uso do sensoriamento remoto da Amazônia Legal, o que tem possibilitado avanços na defesa estratégica da região. De acordo com o secretário de Coordenação e Organização Institucional do MD, Ari Matos Cardoso, o órgão tem contribuído significativamente para aprimorar a atuação de outros setores da Defesa na Amazônia brasileira, bem como de instituições que mantêm projetos na área. “O Centro exerce importante trabalho com o suporte de informações para o subsídio de iniciativas que envolvem os comandos militares, como a Operação Ágata e atividades para proteger nossas fronteiras”, garante. Desde 2011, o Censipam está ligado ao Ministério da Defesa (MD). Segundo o secretário, as funções do órgão apresentam “interface estreita com os comandos militares”, principalmente no que se refere às diretrizes previstas na Estratégia Nacional de Defesa [END]. A END prioriza a região amazônica por ser um dos focos de maior interesse para a defesa nacional. A proteção da área exige avanço no desenvolvimento sustentável, que passa pelo monitoramento, controle, mobilidade e presença do Estado.

Helicóptero de ataque AH-2 participa pela primeira vez de manobras no sul do País

Helicópteros de ataque AH-2 Sabre da Força Aérea Brasileira (FAB), pertencente ao Segundo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (2º/8º GAv) Esquadrão Poti, sediado em Porto Velho (RO) participam da FAEX XII. Estas aeronaves estão operando a partir da Base Aérea de Florianópolis (BAFL) juntamente com outras unidades da FAB. O AH-2 Sabre, designação dada pela FAB para o Mi-35M de fabricação russa, é um helicóptero utilizado principalmente em missões de ataque, escolta, interceptação, assalto armado e reconhecimento. O governo brasileiro comprou 12 aparelhos que começaram a operar regularmente em 2010, e sua principal aplicação operacional é atuar nas regiões de fronteiras da Amazônia. Os Sabres são os helicópteros mais bem armados da FAB na atualidade, possuindo um canhão orientável de dois canos GSh-23 de 23 mm, sistemas para uso de mísseis anti-carro guiados, lançadores de foguetes, etc. O modelo dispõe um moderno sensor de visão frontal infravermelha (FLIR) para realizar a aquisição de alvos e pontaria das armas. Além de suas qualidades ofensivas, o AH-2 é construído de forma a garantir a sobrevivência do helicóptero nos mais duros ambientes de combate, incorporando blindagens das partes vitais da aeronave e uma eficiente suíte de contra-medidas dotada de lançadores de flare, interferidor ativo de radiação infra-vermelha (IR), sistema de alerta de radar (RHAW) e supressores de calor nos dutos de saída dos motores. O AH-2 tem uma cabine com capacidade de transportar um pequeno comando de soldados, característica que abre possibilidades de emprego do aparelho em missões C-SAR (Combate-SAR).

quinta-feira, 19 de abril de 2012

44º Aniversário do Museu do Ar - Portugal

 No dia 22 de fevereiro realizou-se em Sintra a Cerimónia comemorativa do Dia do Museu do Ar (MUSAR), que este ano celebra o seu 44º aniversário.
No decorrer da Cerimónia, presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General José Pinheiro, o novo Diretor do Museu do Ar, Coronel Antero Coutinho, proferiu uma alocução na qual salientou o grandioso trabalho que tem sido desenvolvido há mais de quatro décadas e referiu os novos projetos que o Museu está a desenvolver para reforçar a divulgação do património histórico aeronáutico português.
No final da Cerimónia os presentes tiveram a oportunidade de conhecer as últimas peças incorporadas no acervo do MUSAR, que se constituem de elevado valor patrimonial e histórico.
Actualmente o MUSAR encontra-se encerrado ao grande público para obras de requalificação, estando prevista a sua reabertura para meados deste ano com diversas novidades, tais como uma colecção com várias peças inéditas, bem como novas áreas temáticas de interação com os visitantes. (
F.A.P)

domingo, 18 de março de 2012

A FAB no centro-oeste - Esquadrão Flecha

Esquadrilha da Fumaça 60 Anos - Maior Show Aeronáutico do Brasil

Nos dias 12 e 13 de maio de 2012, na Academia da Força Aérea - Pirassununga/SP, a Esquadrilha da Fumaça irá comemorar seus 60 anos de criação com o maior show aéreo do Brasil! Será um evento sem precedentes na história do país, com a presença confirmada das melhores esquadrilhas civis e militares da América do Sul, diversos aviões de combate, shows musicais, além da tentativa da Fumaça de incrementar seu próprio recorde mundial voando em formação com 13 aeronaves em voo invertido, na presença de um público estimado em mais de 100 mil pessoas.

PROFORÇA - Mensagem do Comandante do EB

Assista, neste vídeo, a mensagem do Comandante do Exército sobre o PROFORÇA, projeto que orienta o processo de Transformação do Exército Brasileiro nas áreas de: Ciência & Tecnologia, Doutrina, Educação & Cultura, Engenharia, Gestão, Logística, Orçamento & Finanças, Preparo & Emprego e Recursos Humanos.

Defesa - Grupos de Trabalho apresentam propostas para padronizar instrução sobre apoio de fogo

 A principal atividade neste quarto dia (15/3) do I Seminário sobre Apoio de Fogo em Operações Conjuntas, realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB) em Brasília, serão os trabalhos de grupo. Os cerca de 90 participantes, divididos em três grupos (Alfa, Bravo e Charlie), terão a incumbência de apresentar propostas de alteração e aperfeiçoamentos acerca da Instrução Provisória (IP) preliminarmente elaborada pela Força Aérea Brasileira sobre o Apoio de Fogo.
O grupo Alfa tem como tópicos de análise o Sistema de Apoio de fogo e Efeitos Desejados; Sistema de Apoio de Fogo Conjunto; Planejamento e Coordenação; Missões Pré-Planejadas e missões imediatas. Já o Grupo Bravo, terá como temas de estudo as medidas de coordenação de apoio de fogo; zonas de fogos e limites; medidas permissivas; medidas restritivas e coordenação do uso do espaço aéreo. O grupo Charlie vai se debruçar sobre itens como órgãos de coordenação e controle; comando e controle nas Forças Naval, Terrestre e Aérea Componente; além do comando e controle no Comando Combinado.
O seminário tem como objetivos estabelecer parâmetros básicos para o desenvolvimento da doutrina de Operações Conjuntas; identificar as necessidades e as limitações de integração sistêmica entre as atividades relacionadas ao Apoio de Fogo em Operações Conjuntas; disseminar e nivelar conhecimentos doutrinários relacionados ao Apoio de Fogo em Operações Conjuntas a fim de possibilitar o desenvolvimento de doutrina conjunta no âmbito das Forças; e obter subsídios para a elaboração de uma instrução provisória sobre o Apoio de Fogo em Operações Conjuntas.

A programação completa do evento pode ser acessada no endereço eletrônicohttp://www.fab.mil.br/portal/capa/index.php?page=operacao_emaer

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Caças Não Estarão na Agenda do Encontro de Dilma Com Obama


EUA e Brasil buscam intensificar negócios – Vice-secretário diz que o Departamento de Estado vai ajudar companhias americanas e brasileiras a fazerem investimentos Cientes do impossível diálogo sobre livre comércio, os Estados Unidos envolveram o Brasil na sua “diplomacia de empregos” de forma singular. Washington vê hoje o Brasil como uma fonte de investimentos produtivos, como mercado em expansão para as suas exportações de manufaturas e como futuro provedor de petróleo e gás. Longe das mesas de negociações comerciais, pretendem estimular contratos de negócios e investimentos recíprocos com base no arcabouço de cooperação econômica estabelecido no ano passado. A presidente Dilma Rousseff será recebida na Casa Branca no próximo dia 9 de abril nesse contexto de ansiedade dos EUA em gerar empregos domésticos por meio da maior conexão entre as duas economias. A base da relação econômica bilateral de longo prazo foi desenhada em março de 2011, em Brasília, quando Dilma e o presidente americano, Barack Obama, assinaram o memorando de cooperação econômica e o diálogo estratégico sobre energia. O desafio, agora, será desdobrar esses acordos em contratos no setor privado. O Brasil tem sido tratado como um “aliado” por Washington, ciente das divergências em vários campos diplomáticos. Mas, curiosamente, ainda não é chamado por Washington como “parceiro”, em sentido mais amplo, a exemplo da também emergente Índia e dos países da Parceira Transatlântica, a prioridade de sua política comercial.

Minicom, MCTI e Defesa batem o martelo sobre SGB

O ministro Paulo Bernardo esclarece que esse decreto não trata da dificuldade que a Telebras está enfrentando para ser contratada pelos órgãos da administração pública sem participar de licitação. Bernardo também não quis comentar se o governo estava “pegando carona” na questão da segurança nacional para estabelecer dispensa de licitação também para a venda do serviço aos órgãos de administração pública.
O segundo decreto estabelece o modelo de gestão da empresa integradora e as condições em que deverá acontecer a transferência de tecnologia para a indústria nacional.
Este decreto também prevê a criação de um comitê formado pelo Ministério das Comunicações, Ministério da Defesa e Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação que fará o acompanhamento e a supervisão do projeto.
No campo técnico, será criado um escritório de projetos composto por representantes dos ministérios e também da AEB e do Inpe, e que estabelecerá os requisitos para a compra do satélite, além de acompanhar o trabalho de integração.
O procedimento formal para a publicação dos decretos, que deverão ser publicados no mesmo dia, é uma apresentação do texto à Casa Civil, que poderá sugerir pequenos ajustes uma vez que, segundo Bernardo, participou das discussões.
Depois disso, é agendada uma reunião com a presidenta onde será apresentado o projeto e, em questão de dias, os decretos são assinados. A joint-venture entre Telebras e Embraer poderá ter até quatro diretores, sendo que um deles, o diretor de tecnologia, deverá obrigatoriamente ser indicado pela Telebras.

Brasil e China estudarão plano espacial de 10 anos

A mais alta instância da cooperação Brasil-China referendou, em 13 de fevereiro passado, a decisão tomada ainda em agosto de 2011 pela Subcomissão Espacial brasileiro-chinesa de criação de um grupo de trabalho especialmente encarregado de discutir e elaborar um plano decenal de colaboração em atividades espaciais.
Não poderia haver maior e mais ambiciosa novidade na já longa – e nem sempre retilínea – trajetória da cooperação espacial entre os dois países, iniciada em junho de 1988, quando o então Presidente José Sarney assinou, em Pequim, o primeiro acordo envolvendo tecnologia de ponta entre países em desenvolvimento, para a construção conjunta do primeiro satélite Brasil-China de recursos naturais da Terra, ou seja, de sensoriamento remoto dos recursos e riquezas terrestres, conhecido pela sigla CBERS (China-Brazil Earth Resources Satellite).
A notícia é extremamente alvissareira. Significa que o Brasil aprovou a possibilidade de assumir um plano de planejamento espacial de nada menos de 10 anos, junto com um país altamente planejado, que graças a isso deu uma virada histórica – com um ritmo vertiginoso de crescimento – e, hoje, está bem próximo de se tornar uma potência econômica e política como poucas. Quando fizemos algo semelhante? Nunca.
A tarefa nos impõe não apenas uma política de governo, mas, em especial, uma política de Estado, de longo prazo, de pensar grande, à prova de mandatos e gestões de alguns poucos anos, apequenados pelo imediatismo. Eis aí ao alcance de nossas mãos a efetivação do antigo sonho de nossa comunidade científica e tecnológica, além de muitos gestores, ministros e parlamentares, todos conscientemente de olho nos campos estratégicos do conhecimento, indispensáveis ao desenvolvimento sustentável, sensato, responsável e promissor, que pedem muito mais do que três ou quatro anos.
Isso implica outras tarefas desafiantes. Teremos que mudar de hábitos, olhar mais longe, pesquisar a fundo com dados mais prospectivos, alargar nossas reflexões e hipóteses, e nos organizar como jamais antes para compor um novíssimo grupo de trabalho, com gente capaz e disposta a se empenhar sistematicamente na montagem de um plano de ações definidas e priorizadas com o máximo cuidado, segurança e determinação para toda uma década, no mínimo.
O plano decenal, se de fato vingar e ganhar corpo, incluirá o CBERS-5 e -6, e os seguintes, um satélite de meteorologia e, quem sabe, um satélite radar (capaz de superar as intempéries que dificultam a observação da Terra), que tanto necessitamos para melhor monitorar a imensa Amazônia, patrimônio inestimável a zelar, conhecer e explorar de forma sustentável com a mais avançada tecnologia.
Será uma escola de futuro. Provavelmente das primeiras e mais eficientes em suas múltiplas experiências e lições. Nela, poderemos formar toda uma geração de graduados, pós-graduados, técnicos, especialistas, empresários, usuários e cidadãos preparados para viver num tempo que ainda nem sabemos se realmente virá, tamanha é a crise global que hoje enfrentamos, querendo ou não.

IAE lança com sucesso mais um Foguete VSB-30

Foi realizado com sucesso o 13º vôo do foguete de sondagem brasileiro VSB-30, sendo o 10º lançado a partir do Centro de Lançamento de Esrange, acrônimo de European Spaceresearch RANGE, localizado a 200 km do Círculo Polar Ártico, próximo à cidade de cidade Kiruna na Suécia. O lançamento ocorreu hoje (13/02/2012) às 10h15min horário local, 7h15min pelo horário de Brasília.
O veículo VSB-30 V16 atingiu o apogeu nominal previsto de 259 km, transportando a carga útil MASER 12, com cinco experimentos da Agência Espacial Européia (ESA), durante mais de 6 minutos em ambiente de microgravidade.
A Campanha MASER 12, mesmo nome da carga útil, envolveu equipes do Swedish Space Corporation - SSC (Suécia), German Aerospace Center - DLR (Alemanha) e Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE (Brasil), dentro do Programa de Cooperação Brasil (IAE) e Alemanha (DLR).
A carga útil foi recuperada a 99 km de distância do sítio de lançamento e dentro da área de resgate prevista.
Além de Esrange, outros três lançamentos já ocorreram a partir no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), em 2004, 2006 e 2010, respectivamente.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Palavras do general-de-divisão Celso José Tiago, responsável pelo programa SGB no Ministério da Defesa

O Brasil, ainda segundo o que estabelece a Estratégia Nacional de Defesa, doravante terá que investir mais no setor espacial. Penso que teremos, em médio prazo, dois a três satélites geoestacionários de comunicações estatais, devendo o primeiro ser lançado em 2014 para operar em banda Ka e X. Serão necessários ainda satélites de navegação, de vigilância, meteorológicos, entre outros.
O ideal é que essa demanda venha a ser atendida, de uma maneira crescente, pela indústria nacional. Para o primeiro satélite a ser lançado em 2014, a Telebras se juntou à Embraer Defesa e Segurança e criaram uma nova empresa que fará a aquisição do satélite. Após o lançamento e testes em órbita, o satélite será de propriedade da Telebras, que irá operá-lo, não só no posicionamento orbital, como nas comunicações em banda Ka. A banda X será totalmente operada pelo Ministério da Defesa.
Imagina-se que essa empresa, recentemente criada pela Telebras e Embraer Defesa e Segurança, adquira, paulatinamente, know how no setor espacial e venha, no futuro, a competir nesse mercado, priorizando a indústria nacional.
Sabe-se que dificilmente um país passa tecnologia estratégica para outro. No entanto, o Brasil já possui uma razoável capacidade tecnológica na área espacial, principalmente no Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) e no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Esse patamar tecnológico aliado a uma robusta e regular injeção de recursos governamentais na contratação de pessoal mediante concurso, em pesquisas e nas parcerias com países possuidores dessa expertise, não há dúvida, colocará o Brasil no caminho certo para conquistar a tão desejada autonomia tecnológica no setor espacial.

Ministro da Defesa, Comandante da Marinha e autoridades visitam a Estação Antártica Comandante Ferraz

Helicópteros da Marinha do Brasil transladaram em meados de janeiro, desde a Base Chilena Presidente Eduardo Frei Montalva até a Estação Antártica Brasileira Comandante Ferraz e desta até o Navio Polar Almirante Maximiano (H-41), o Ministro da Defesa, Embaixador Celso Amorim, acompanhado pelo Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Juniti Saito, pelo Embaixador do Brasil no Chile, Frederico Cezar de Araújo, pelo Presidente da Vale Soluções em Energia (VSE), James Pessoa, e por outras autoridades civis e militares.
 O motivo da visita, a comemoração dos 30 anos do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) e a inauguração do motogerador a etanol desenvolvido pela VSE, o primeiro do tipo a operar sob as condições extremas do Continente Antártico. Trata-se de uma tecnologia 100% brasileira de geração de energia limpa, o chamado biocombustível, condição fundamental de funcionamento num ecossistema frágil como o da Antártica. Com o início da operação do motogerador a etanol, o Brasil se tornou o primeiro país do mundo a utilizar biocombustível para produção de energia na Antártica. O motogerador suprirá toda a energia necessária ao funcionamento da base e aos programas científicos desenvolvidos no local.

Entrevista exclusiva com o Professor Doutor Deonisio Silva - Pró Reitor da Universidade Estácio de Sá

video
Entrevista exclusiva com o Professor Doutor Deonisio Silva - Pró Reitor da Universidade Estácio de Sá sobre o General Carlos de Meira Mattos.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Orgãos sociais 2012 - 2014

Orgãos sociais 2012 - 2014

Diretoria Executiva:
Presidente: DPF Pedro Luiz Berwanger
1ª V Pres.: C. Alte Wilson Jorge Montalvão
2° V Pres.: Gen Bda Márcio Tadeu Bettega Bergo
3° V Pres.: Brig Int Wilson Nunes Vieira
1’ª Sec.: Profª Marijane Vasconcelos Tavares
2° Sec.: Prof Sérgio Lazoski
1° Tes.: Cel Ubirajara Dias José
2° Tes.: CMG José Heriberto Costa
Conselho Fiscal:
Efetivo Adv Arthur Eduardo Diniz Gonçalves Horta
Efetivo CMG Ezir Rodrigues Pitta
Efetivo Estat Calmon Gold
Suplente CMG Sidney Hélio Melecchi
Suplente Econ. Luiz Victor Werneck Borelli
Suplente Adv Regina Mª Tocantins do Rego Monteiro
Conselho Superior:
Dr. Sebastião Till
C. Alte José Pardellas
C. Alte Edésio Campanille Neves Araripe
Prof Paulo César Milani Guimarães
Juíza Heloisa Corrêa da Costa e Paula
Proc Mary Virgínia Northrup
Prof João Baptista Miranda da Silva
Proc José Roberto de Souza Cavalcante
Gen Bda Durval Antunes Machado Pereira de Andrade Nery
Adm Jorge José González Séba

domingo, 15 de janeiro de 2012

Ministério da Defesa e ONU Mulheres firmam carta de intenções para ampliar presença feminina em missões de paz

O Ministério da Defesa e a ONU Mulheres (agência da Organização das Nações Unidas para as mulheres) firmaram carta de intenções com o objetivo de ampliar a presença feminina em operações de paz. A ONU Mulheres foi formada em setembro de 2010, reunindo os quatro órgãos já existentes nas Nações Unidas para melhorar as condições de vida das mulheres - o Fundo da ONU para o Desenvolvimento da Mulher (Unifem), a Divisão da ONU para o Avanço da Mulher, o Instituto Internacional de Pesquisas e Capacitação para a Promoção da Mulher (Instraw, na sigla em inglês) e o Escritório do Assessor Especial para Assuntos do Gênero (Osagi, na sigla em inglês). Michelle Bachelet é a primeira diretora-executiva da entidade.

Resultados do Plano Estratégico de Fronteiras são positivos, avalia vice-presidente

Lançado em junho passado pela presidente Dilma Rousseff, o Plano Estratégico de Fronteiras prevê ações para reforçar a segurança nos 16.866 quilômetros de fronteira com 10 países, por onde passam grande parte das drogas, armas e contrabando que entram no País, além de melhorar as condições de vida de mais de seis milhões de habitantes, de cerca de 500 municípios remotos.
De caráter integrador, o PEF é executado por meio de operações de responsabilidade dos ministérios da Justiça (Operação Sentinela) e da Defesa (Operação Ágata). As operações acionaram 26 órgãos públicos federais e 12 ministérios, responsáveis pela fiscalização e o controle das áreas fronteiriças.

fortalecimento da indústria de defesa

A presidenta da República, Dilma Rousseff, destacou o simbolismo da cerimônia de imposição da Medalha Ordem do Mérito da Defesa, realizada na Base Aérea de Brasília. “Aqui estão brilhantes militares que se distinguiram no exercício de sua profissão e representantes civis que pensam o país com seriedade e que consideram nossa soberania, o desenvolvimento econômico e a justiça social temas de primordial importância”, ressaltou. “Também estão representados os três poderes que constituem o Estado brasileiro. Mostra de que a defesa é, cada vez mais, um compromisso da sociedade nacional.”A presidenta ressaltou a importância de se reforçar o desenvolvimento de indústria nacional de material de emprego militar. Para ela, “o robustecimento da indústria de defesa nacional e o domínio de tecnologias críticas por empresas brasileiras serão decisivos para que nossas Forças Armadas disponham de equipamentos e tecnologias compatíveis com suas funções de garantia da democracia e da soberania do nosso país.”
O fortalecimento da indústria de defesa, segundo a presidenta, também será fundamental para elevar a capacidade inovativa e a competitividade da indústria, contribuindo para a continuidade do crescimento econômico do País.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Brasil e Portugal firmam acordo de parceria no desenvolvimento do projeto KC-390

A Embraer Defesa e Segurança e as empresas OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal e EEA – Empresa de Engenharia Aeronáutica assinaram contratos de parceria para o Programa KC-390. Por meio do acordo, Portugal desenvolverá na EEA o projeto de engenharia de componentes do jato e reabastecedor militar KC-390 que serão fabricados na OGMA, uma subsidiária da Embraer.
 “A participação de Portugal no KC-390 reforça nossa posição no mercado europeu de defesa”, declarou Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa e Segurança.
O contrato assinado hoje foi antecedido de uma Declaração de Intenções entre os Ministérios da Defesa brasileiro e português, assinado em setembro de 2010, e enfatiza o compromisso de Portugal em comprar aviões KC-390.

MANSUP segue em frente

A Marinha do Brasil assinou os últimos contratos que cobrem os trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do programa MANSUP (Míssil Anti-Navio de Superfície), que está programado para entrar em serviço no final desta década.
Além da Atech, cuja atuação será a de gerenciamento complementar, e da Omnisys, responsável pelo buscador de alvos (auto-diretor) do equipamento, Avibras e Mectron foram contratadas para fornecer o propulsor de combustível sólido e construir o protótipo, respectivamente. As duas empresas já estão envolvidas no programa de modernização dos MBDA MM40 Exocet Block II da MB, sendo que o primeiro foi entregue em outubro passado.
A Marinha do Brasil irá coordenar o programa de desenvolvimento, cujo objetivo é criar um substituto para os MM40. Segundo fontes classificadas o MANSUP consumirá inicialmente US$ 50 milhões.
Projetado para alcançar alvos a 70 quilômetros de distância, o MANSUP será guiado na fase final de aproximação do alvo por um buscador de radar ativo.

sábado, 7 de janeiro de 2012

A Presidenta Dilma Rousseff afirmou que seguirá apoiando a renovação dos equipamentos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

... "Senhoras e senhores oficiais-generais,
Na caminhada para tornar o Brasil um país mais justo, mais desenvolvido e mais soberano, o Ministério da Defesa e as Forças Armadas brasileiras têm e terão um papel muito relevante. As nossas Forças Armadas serão parceiras inestimáveis na construção deste novo Brasil. Um Brasil forte, profissionalizado, com capacidade de criar e construir ciência, tecnologia e inovação exige Forças Armadas fortes, capazes de construir este país.
A sociedade brasileira reconhece, em suas Forças Armadas, as virtudes da lealdade, da abnegação e do patriotismo. Reconhecemos a nobreza daqueles que dedicam a vida à defesa da soberania, da democracia e da integridade territorial do Brasil, por isso o Brasil também tem de reconhecer que esses homens e mulheres necessitam de recursos, não só aqueles dos equipamentos, mas também aqueles que garantam uma vida digna à família militar.
No novo Brasil que estamos construindo, as Forças Armadas serão cada vez mais exigidas. Seguiremos com os projetos de renovação dos equipamentos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Isso nos permitirá aumentar nossa capacidade operativa e também a possibilidade de o Brasil contribuir, sempre que for adequado ao interesse nacional, em operações de manutenção da paz, sob a égide das Nações Unidas. Permitirá – cabe destacar – que se desenvolva, ainda mais, a Indústria Nacional de Defesa, melhorando nossa capacidade tecnológica e agregando mais valor ao Brasil.
Daí porque, senhores generais, temos de dar muita importância também a uma política de compras governamentais que tenha o poder de organizar a demanda e, assim, fortalecer a cadeia produtiva de bens industriais e de serviços para a defesa.
Estamos comprometidos com a valorização da profissão militar para que continuemos atraindo, para nossas Forças Armadas, os quadros necessários ao pleno cumprimento de suas funções profissionais e constitucionais. E também devemos reconhecer a importância que as três Forças têm no futuro do Brasil, no que se refere à agregação de inovação e de capacidade científica e tecnológica.
No futuro promissor que vislumbro para o Brasil, tenho certeza de que contaremos com o trabalho, a dedicação e o patriotismo de nossas Forças Armadas, seja nas atividades de defesa civil, quando se trata de resgatar brasileiros e brasileiras de problemas decorrentes de variações climáticas; seja também quando se trata de garantir a lei e a ordem em muitas regiões do nosso país; seja, sobretudo, quando se trata da política estratégica de fronteiras; mas também seja – como eu repeti anteriormente – no desenvolvimento científico e tecnológico do país.Desejo um Feliz Natal e um próspero Ano Novo! Um próspero 2012 a todos os soldados brasileiros que atuam neste imenso país e também no exterior! Desejo aos senhores oficiais generais um bom 2012 ..."