Bem vindos ao Blog ADESG Europa.Pode seguir - no no nosso perfil clicando AQUI para aceder a toda a informação e fotografias/videos da nossa instituição.
O nosso sitio está AQUI

VENCEDORES DO CONCURSO LITERÁRIO 2011:

- INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DO CIBERESPAÇO - UM VECTOR ESTRATÉGICO DA SEGURANÇA E DEFESA NACIONAL - AUTOR: TCor Tm (Eng) Paulo Fernando Viegas Nunes

- TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO - A verdade de Um falso Mundo - AUTOR: Luis Boa Nova Verdade

- TECNOLOGIA, NÃO TECNOLOGIA – Estilhas Coloniais, e mais na vida do Rio de Janeiro no século XXI - AUTOR:
Laton Tombé

Obras a publicitar em breve

sábado, 21 de dezembro de 2013

Toma posse a nova Diretoria da ADESG biênio 2014/2015

 Tomou posse no último dia 17 a nova Diretoria da ADESG, presidida pelo V Alte Ricardo Antonio da Veiga Cabral, para o biênio 2014/2015. No auditório da ESG, frente a um público de mais de 200 pessoas, incluindo diversas autoridades civis e militares, foram apresentados os novos integrantes da Diretoria Executiva, do Conselho Superior, Conselho Fiscal e departamentos. Após a solenidade, os convidados confraternizaram em um coquetel de comemoração pela passagem de Diretoria.
Ver os nomes e cargos:http://adesg-europa.blogspot.pt/p/estatuto-da-adesg.html

domingo, 24 de novembro de 2013

Relações Portugal-Brasil e o Triângulo Atlântico

A necessidade de impulsionar a constituição geopolítica e geoeconómica do "Triângulo Atlântico" passa por um forte diálogo e uma vontade inabalável.
Na foto a conversar sobre tal, o Adido do Exército e Aeronáutica do Brasil Coronel Cláudio Casali, o Chefe de Gabinete do Comando de Pessoal Coronel Sousa Machado e o Representante da ADESG Europa Artur Victoria

sábado, 23 de novembro de 2013

ADESG Europa presente no 38º aniversário da independência de Angola

Na Universidade de Coimbra celebrou - se a efeméride do 38º aniversário da independência de Angola.
Presentes o Consul Geral de Angola Domingos Custódio Vieira Lopes, a Prof. Renata Flávia, o presidente da Associação de Estudantes de Angola em Portugal o Prof Doutor Pires Laranjeira, o advogado Rui Amado e  Bento Monteiro.
Artur Victoria, como Representante da ADESG  Europa apresentou cumprimentos aos organizadores do evento dedicado á pessoa de Agostinho Neto. 

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Artur Victoria reúne com o General-de-Exército José Carlos de Nardi

Artur Victoria, Representante Honorífico da ADESG Europa teve um encontro com Sua Excelência o Senhor General de Exército José Carlos de Nardi, Chefe de Estado Maior Conjunto, Min da Defesa do Brasil.
Nesta reunião  foram apresentados ao Ilustre General o plano de atividades da ADESG Europa para 2014 e outros projetos especiais a desenvolver na Europa.

sábado, 12 de outubro de 2013

Conferência realizada dia 11 de Outubro no Porto com o apoio da ADESG Europa.

O Planejamento Estratégico Militar: a Estratégia Nacional de Defesa, a Política Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional, proferida pelo Senhor Adido de Defesa e Naval do Brasil em Portugal: Adido de Defesa e Naval do Brasi lCapitão-de Mar-e-Guerra Rogério Fortes Pedrozo.
(Na foto o Embaixador Gelson Fonseca Junior e Amilcar Fernandes do MPLA)

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O Planejamento Estratégico Militar: a Estratégia Nacional de Defesa, a Política Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional,

A ADESG Europa apoia a realização das Conferências:

- O Planejamento Estratégico Militar: a Estratégia Nacional de Defesa, a Política Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa Nacional, proferida pelo Senhor Adido de Defesa e Naval do Brasil em Portugal: Rogério Fortes Pedrozo.

 - A Importância de Portugal no Atlântico Sul, proferida pelo Senhor Professor Doutor Darc Costa, Presidente da Federação das Câmaras de Comércio e Indústria da América do Sul
11 de outubro de 2013, às 10h00, no Palacete Burmester (Sala CEPESE) – Rua do Campo Alegre, 1055,  4169-004 Porto.


sábado, 1 de junho de 2013

Caravana do Exército brasileiro passa por Portugal - Maio de 2013

Artur Victoria como Representante da ADESG Europa - Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra na Europa recebe Os Coroneis do Exército Brasileiro: Paulo Dartanham Marques de Amorim; AlédioPinheiro Fernandes; Julio Cesar de Almeida Vasconcelos.

domingo, 5 de maio de 2013

"Armed Conflicts and Humanitarian Law"- um curso da Faculdade de Direito da Universidade do Minho


Artur Victoria, at Minho University, about theSyrian conflict - The best home videos are here UNIVERSIDADE DO MINHO - Maio de 2013 - Artur Victoria explica a génese do conflito Sírio num curso da Faculdade de Direito. A ADESG Europa apoiou o curso de "Armed Conflicts and Humanitarian Law".

sábado, 30 de março de 2013

Lançado no Dia 20 de Março com prefácio de Adriano Moreira e Ives Gandra Martins

O livro de Luís Bernardino, prefaciado, em sua edição portuguesa, por Adriano Moreira, um dos mais profundos conhecedores da África portuguesa e da comunidade internacional, traça um cenário futuro para o continente africano, no contexto mundial. O equilíbrio da economia entre países desenvolvidos, que se acostumaram a gastar além de suas forças, e dos países emergentes, que começam a conquistar novos espaços a partir da expansão de seus mercados internos e exploração de suas riquezas naturais, faz-se de mais em mais presente, abrindo perspectivas de uma integração, em patamar que jamais ocorrera no passado. Acentua, o autor, neste cenário, a importância da África, que vai, gradativamente, tornando-se um continente democrático, superando o que há um século era quase impossível imaginar, ou seja, as milenares guerras tribais de extermínio ou escravidão. No século XXI, deverá tornar-se um dos continentes mais relevantes para enfrentar os desafios colocados à humanidade, em que o esgotamento de certos modelos econômicos e a necessidade de readequação de costumes das nações mais ricas a uma nova ordem mundial levarão à predominância das jovens nações democratizadas desde o fim do século passado. Neste contexto, como realça Luís Bernardino, no brilhante estudo sobre Angola, as Forças Armadas, cada vez mais profissionalizadas, deverão exercer um papel preponderante de estabilização institucional, à luz do que ele denomina de trilogia do D (Defesa, Desenvolvimento e Diplomacia). Em especial, as Forças Armadas de Angola - hoje formadas em escolas preparatórias, em que o espectro do ensino é suficientemente abrangente para que seus oficiais tenham uma visão completa da conjuntura local e mundial - estão hoje preparadas para exercer esta função protetora da Constituição, propiciando o desenvolvimento da nação e da região, e auxiliando a manutenção da ordem, num cenário de paz e segurança. A experiência que ora vivenciam as FAs angolanas, há mais de meio século ocorre no Brasil, com a fundação da Escola Superior de Guerra, para militares e civis, e das Escolas Militares das 3 armas, como são a Escola do Comando e Estado Maior do Exército, a Escola de Guerra Naval e a Escola de Comando da Aeronáutica. Estes estabelecimentos, desde o fim da década de 80, mantem cursos especiais sobre a conjuntura brasileira e mundial para coronéis ou oficiais de outras armas de igual patente, os quais serão futuramente escolhidos e promovidos para oficiais em grau de general das três armas (general de brigada, brigadeiro e contra-almirante). Em tais cursos, no Exército, denominados de CPEAEX (Cursos de Política e Estratégia do Exército), os oficiais ficam na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, por 1 ano, recebendo de autoridades e professores de seus quadros e das mais variadas áreas do conhecimento, aulas de elevado nível, de tal maneira que, aqueles que vierem a ser escolhidos para o generalato estarão preparados, tendo conhecimento de todos os problemas mais relevantes nacionais e internacionais. São as escolas denominadas de “Escolas Preparatórias de Generais”. Esta formação, além do conhecimento próprio das ciências militares, permite que estejam preparados para enfrentar, num regime democrático, todos os desafios que, no artigo 142 da Constituição brasileira, denominada de “A Constituição Cidadã”, foram atribuídos aos militares, pois sua missão não é apenas a defesa da pátria, mas manter a ordem e a lei e, em eventual conflito entre os Poderes, por solicitação de qualquer deles, fazer prevalecer os princípios constitucionais. Trago estas considerações ao prefácio da edição brasileira de um livro muito bem escrito sobre as Forças Armadas angolanas e seu papel na estabilização e colaboração para a integração regional de Angola, pois a experiência brasileira parece ser, desde 2010, a mesma das Forças Armadas daquele país, o que demonstra ser o mundo atual, de mais em mais, voltado à integração e colaboração mútua entre os povos, as sociedades e os Poderes de todas as nações. O livro realça assim que a imagem antiga, cultivada e difundida pelos instigadores de revoluções - de atentados e do caos político, em que as forças armadas teriam uma missão quase dedicada à promoção de ditaduras, nos países emergentes -, está hoje completamente afastada, na maior parte das nações. Especialmente naquelas democráticas, em que a qualidade e a profissionalização de seus membros terminam por tornar as FAs instituições de integração, estabilização e desenvolvimento. Alegra-me, pois, neste breve prefácio, realçar o brilhante estudo de Luís Bernardino, assim como o preciso e esclarecedor prefácio do velho e querido amigo Adriano Moreira –une-nos uma amizade de quase 50 anos-, certo de que, no Brasil, o conhecimento do papel institucional das Forças Armadas angolanas, permitirá reforçar a percepção de que os países de língua portuguesa formam uma comunidade que transcende os nossos tratados de união, pois alicerçados naquela “maneira de ser do português no mundo”, que permitiu, no dizer de Adriano Moreira, a criação de uma civilização diferenciada. O livro mostra, assim, que os fundamentos que regem a filosofia militar brasileira, na profissionalização, preparação e missão das Forças Armadas, são os mesmos que, hoje, norteiam a formação das Forças Armadas angolanas, cuja função, como realçou o autor, é defesa, desenvolvimento e diplomacia no nosso país co-irmão.

domingo, 17 de março de 2013

Visita a Lisboa do Navio-Patrulha Oceânico “Apa”

O Navio-Patrulha Oceânico “Apa” foi incorporado à Armada da Marinha do Brasil no dia 30 de novembro de 2012, em cerimônia presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer, nas dependências da Base Naval de Portsmouth, no Reino Unido. O navio, construído pela empresa BAE Systems Maritime – Naval Ships, recebe o nome “Apa”, em alusão a um importante rio brasileiro, assim como os demais navios da Classe – o “Amazonas” e o “Araguari”. O navio teve a sua construção iniciada em 10 de setembro de 2008, com o batimento de quilha em 16 de fevereiro de 2009. Foi lançado ao mar em 19 de novembro de 2009 e sua construção foi encerrada em julho de 2010. As principais características do Navio são: Comprimento Total: 90,5 metros Boca Máxima: 13,5 metros Calado: 4,5 metros Deslocamento: 2.170 toneladas Velocidade Máxima: 25 nós Raio de Ação a 12 Nós: 5.500 milhas náuticas Autonomia: 35 dias Capacidade de Tropa Embarcada: 51 militares Capacidade de Transporte de Carga: 06 Conteineres de 15 toneladas Armamento: 01 canhão de 30 mm 02 metralhadoras de 25 mm 02 metralhadoras de 12,7 mm Sistema de Propulsão: 02 Motores MAN 16V28/33D de 7.350 HP Geração de Energia: 03 Geradores CATERPILLAR de 550 kW 01 Gerador CATERPILLAR de 200kW Tripulação: 12 Oficiais e 69 Praças O navio foi projetado e construído para atender às necessidades de fiscalização de extensas áreas marítimas. Devido à sua grande autonomia e capacidade de operar com aeronave embarcada (helicóptero) e duas lanchas, contribuirá com os demais navios da Marinha do Brasil na proteção e fiscalização das águas brasileiras, a nossa “Amazônia Azul”. Após a incorporação, o “Apa” realizou um intenso programa de treinamento conduzido pela Marinha Britânica, antes de iniciar sua viagem de trânsito para o Brasil. Nessa viagem, com duração de cerca de dois meses e meio, o navio passará por Portugal, Espanha (Ilhas Canárias), Mauritânia, Senegal, Gana, Angola, Namíbia e nos portos brasileiros de Rio Grande (RS), Itajaí (SC) e Angra dos Reis (RJ), antes de chegar ao Rio de Janeiro, no final de maio. O Navio-Patrulha Oceânico “APA” atracará no porto de Lisboa, no Terminal de Passageiros de Alcântara, no dia 15 de março de 2013, às 09:00 horas e desatracará no dia 19 de março de 2013, às 09:00 horas. O navio estará aberto para a visitação pública nos dias 16, 17 e 18 de março, das 14:00 às 18:30 horas.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

A 2 de julho de 1944, teve início o transporte do primeiro escalão da Força Expedicionária Brasileira, sob o comando do General Mascarenhas de Moraes. que desembarcou em Itália. A Força Expedicionária Brasileira - FEB -, era composta de25.334 homens brasileiros que lutou na Itália para derrotar o fascismo e libertar o país, durante a Segunda Guerra Mundial. Em 2014 pretendemos, mais uma vez homenagear os "Pracinhas" que ha 70 anos iniciaram os primeiros combates em Itália no rio Serchio, ao norte da cidade de Lucca em setembro, tomaram Massarosa, Camaiore e Monte Prano. Era o início de uma mostra de valentia e coragem.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Mudança de Adido da Defesa e da Marinha do Brasil em Portugal




Mudança de Adido da Defesa e da Marinha do Brasil em Portugal
Artur Victoria  e  Alexandre A. A. Dias da Cruz Capitão-de-Mar-e-Guerra e o novo Adido Rogerio Pedrozo  Capitão-de-Mar-e-Guerra

Falar sobre o Mar

video

Artur Victoria  e  Alexandre A. A. Dias da Cruz Capitão-de-Mar-e-Guerra - Adido de Defesa e Naval do Brasil  em  - Portugal conversam sobre o Atlântico Sul e a importância estratégica do mar para o Brasil

sábado, 5 de janeiro de 2013

O Exército Português comemora o seu dia festivo

video
A ADESG Europa esteve presente na celebração do Dia do Exército
 
O Exército Português comemora o seu dia festivo a 24 de Outubro, data em que se celebra a tomada de Lisboa, em 1147, pelas tropas de D. Afonso Henriques, Patrono do Exército.

No presente ano, para assinalar data tão marcante, o Exército Português instituiu, no período de 19 de Outubro a 06 de Novembro, um conjunto de atividades comemorativas, a desenvolver no Continente e Regiões Autónomas.

Com a realização destas atividades, o Exército Português pretende divulgar o seu espírito, bem como as suas capacidades e valências, junto da população em geral. Desta forma, são promovidas iniciativas de natureza militar, cultural, desportiva e recreativa, orientadas pelos princípios da elevação, dignidade, profissionalismo e tradição, que são timbre do Exército Português.

COMEMORAÇÕES DO 50º ANIVERSÁRIO DA FORMAÇÃO DAS TROPAS COMANDOS

video
 

A ADESG Europa esteve presente nas
 

 
Seminário “O papel das Forças Especiais nas Forças Armadas dos Países da CPLP”
              Palavras de abertura do Presidente da Direção Nacional da Associação de Comandos Dr. José Lobo do Amaral